BRT Belém – Apresentação da marca

10 10 2012

Quem mora em Belém já não aguenta mais ouvir a sigla BRT, essas três letrinhas que, juntas, atrapalham a rotina diária de milhares de moradores da região metropolitana da capital paraense, direta ou indiretamente. Mas como este não é um blog jornalístico, político ou algo que o valha, vamos ao que interessa: a apresentação da marca do projeto.

Não quero nem entrar em detalhes do site (até a marca do twitter está sendo utilizada de forma inadequada, de acordo com as regras publicadas pela própria administração da rede social), vou me ater à página de apresentação da marca do projeto. Observem bem na captura de tela abaixo.

Marca BRT Belém

Apresentação da marca BRT Belém no site do projeto.

Acompanhem comigo: o texto começa errado porque apresenta erros grosseiros de ortografia, pontuação e concordância. Sim, isso é um recado direto aos profissionais e estudantes de design que não enxergam a importância do domínio da língua portuguesa (ou qual seja a língua utilizada no contexto). Um texto mal redigido, além de não apresentar coerência e fluidez, é capaz de derrubar a boa reputação de um profissional.

Imaginando que o texto estivesse dentro da norma culta adequada para a língua escrita, sua redação ainda não estaria coerente. No item “Sustentabilidade”, por exemplo, o trecho “A cor Azul turqueza está associada ao conceito de sustentabilidade, reduzindo o nível de CO2 atmosfera da cidade de Belém” (sic) nos deixa interpretar que o mero uso da cor na marca traz como consequência a redução do nível de dióxido de carbono emitido, uma informação obviamente incorreta.

Sobre a marca em si, a própria utilização da imagem (hipoícone) do ônibus é questionável. Uma marca não precisa apresentar o que ela representa (seu objeto) figurativamente, como olhos em marcas de clínicas oftalmológicas, ou grandes dentes antropomorfos em clínicas odontológicas. Para uma marca ter pregnância visual, ou seja, para que ela seja facilmente visualizada, interpretada e memorizada, é preciso simplificar o quanto for possível a sua forma (gestalt, um beijo!). Desta forma, se era realmente necessário desenhar o ônibus na marca do projeto, sua representação poderia estar mais simplificada, considerando ainda a dificuldade de visualização dos seus detalhes quando a marca for utilizada em sua forma reduzida.

A representação em perspectiva linear poderia até ser justificada como representação de dinamismo e velocidade, dois conceitos positivos relacionados ao projeto. Mas sua apresentação foi atribuida à “tecnologia que os ônibus da BRT terão ao trafegarem pela cidade” (sic), mais uma vez sugestionando um conceito equivocado (no caso, de que os ônibus adquirem tecnologia ao trafegarem nas vias da cidade).

Por fim, a perspectiva da faixa branca é apresentada como um recurso para “simbolizar de forma subjetiva” (sic) os corredores e canaletas do projeto. Semioticamente falando, não consigo compreender como seria um símbolo não-subjetivo, pois o símbolo, em si, já é um signo que produz uma ideia geral, que vai ser interpretada diferentemente por cada indivíduo. Ou seja, é subjetivo na sua essência! Porém, devemos considerar a possibilidade do uso do termo “simbolizar”  fora do seu conceito semiótico. Neste caso, a expressão é apenas uma forma de utilizar termos técnicos sem muito critério.

E vocês, o que acharam?

***ATUALIZANDO***

Antes da publicação desse texto, fui apresentada a outro site do mesmo projeto, o brtbelem.com.br. O susto? Um leiaute completamente diferente, incluindo a marca do projeto. Estou achando melhor deixar a análise desta outra marca para outro post, concordam?

About these ads

Ações

Informação

Uma resposta

18 10 2012
Marcelo

DESABAFO
Um trabalho visivelmente feito as “três pancadas” com tons pálidos, conceito de marca completamente equivocado, tipografia amadora, e a sensibilidade estética que não parece nem de longe a de um profissional. Eu lamento que os “profissionais” de hoje em dia não tenham a menor preocupação com pesquisa e o conceito de uma marca para representar todo o significado do BRT, eu espero que os responsáveis desse “Clip-art” do Microsoft Word possam ter mais critério e pelo menos não queimar seu filme colocando esse troço em seu portfólio.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: