BRT Belém – Apresentação da marca

10 10 2012

Quem mora em Belém já não aguenta mais ouvir a sigla BRT, essas três letrinhas que, juntas, atrapalham a rotina diária de milhares de moradores da região metropolitana da capital paraense, direta ou indiretamente. Mas como este não é um blog jornalístico, político ou algo que o valha, vamos ao que interessa: a apresentação da marca do projeto.

Não quero nem entrar em detalhes do site (até a marca do twitter está sendo utilizada de forma inadequada, de acordo com as regras publicadas pela própria administração da rede social), vou me ater à página de apresentação da marca do projeto. Observem bem na captura de tela abaixo.

Marca BRT Belém

Apresentação da marca BRT Belém no site do projeto.

Acompanhem comigo: o texto começa errado porque apresenta erros grosseiros de ortografia, pontuação e concordância. Sim, isso é um recado direto aos profissionais e estudantes de design que não enxergam a importância do domínio da língua portuguesa (ou qual seja a língua utilizada no contexto). Um texto mal redigido, além de não apresentar coerência e fluidez, é capaz de derrubar a boa reputação de um profissional.

Imaginando que o texto estivesse dentro da norma culta adequada para a língua escrita, sua redação ainda não estaria coerente. No item “Sustentabilidade”, por exemplo, o trecho “A cor Azul turqueza está associada ao conceito de sustentabilidade, reduzindo o nível de CO2 atmosfera da cidade de Belém” (sic) nos deixa interpretar que o mero uso da cor na marca traz como consequência a redução do nível de dióxido de carbono emitido, uma informação obviamente incorreta.

Sobre a marca em si, a própria utilização da imagem (hipoícone) do ônibus é questionável. Uma marca não precisa apresentar o que ela representa (seu objeto) figurativamente, como olhos em marcas de clínicas oftalmológicas, ou grandes dentes antropomorfos em clínicas odontológicas. Para uma marca ter pregnância visual, ou seja, para que ela seja facilmente visualizada, interpretada e memorizada, é preciso simplificar o quanto for possível a sua forma (gestalt, um beijo!). Desta forma, se era realmente necessário desenhar o ônibus na marca do projeto, sua representação poderia estar mais simplificada, considerando ainda a dificuldade de visualização dos seus detalhes quando a marca for utilizada em sua forma reduzida.

A representação em perspectiva linear poderia até ser justificada como representação de dinamismo e velocidade, dois conceitos positivos relacionados ao projeto. Mas sua apresentação foi atribuida à “tecnologia que os ônibus da BRT terão ao trafegarem pela cidade” (sic), mais uma vez sugestionando um conceito equivocado (no caso, de que os ônibus adquirem tecnologia ao trafegarem nas vias da cidade).

Por fim, a perspectiva da faixa branca é apresentada como um recurso para “simbolizar de forma subjetiva” (sic) os corredores e canaletas do projeto. Semioticamente falando, não consigo compreender como seria um símbolo não-subjetivo, pois o símbolo, em si, já é um signo que produz uma ideia geral, que vai ser interpretada diferentemente por cada indivíduo. Ou seja, é subjetivo na sua essência! Porém, devemos considerar a possibilidade do uso do termo “simbolizar”  fora do seu conceito semiótico. Neste caso, a expressão é apenas uma forma de utilizar termos técnicos sem muito critério.

E vocês, o que acharam?

***ATUALIZANDO***

Antes da publicação desse texto, fui apresentada a outro site do mesmo projeto, o brtbelem.com.br. O susto? Um leiaute completamente diferente, incluindo a marca do projeto. Estou achando melhor deixar a análise desta outra marca para outro post, concordam?





Curso de Fotografia Digital em Belém

12 03 2012
Curso de fotografia digital em Belém
(Clique na imagem para ampliar)
Após muita expectativa, posso anunciar a parceria com a Documenta Cursos em um curso de fotografia digital! O módulo é básico, não precisa ter conhecimento prévio sobre o assunto. Ideal tanto para quem quer tirar melhor proveito do seu equipamento mesmo sem a intenção de profissionalização, tanto para quem quer entrar no mercado da fotografia mas ainda não conhece nada sobre a técnica fotográfica.
As inscrições estão abertas, as turmas ainda não fecharam. E atenção: se você tiver como formar o seu grupo independente (a partir de 5 alunos) entre em contato com a Documenta, você ganha o seu curso!
O horário do curso com a tia Tereza aqui será matutino, das 9h às 13h. Não esqueça de mencionar que soube do curso por mim =)
Objetivos:
 
Este curso vai introduzir as diferenças entre Fotografia Analógica e Fotografia Digital. Vai permitir-lhe compreender como funciona uma Câmara Digital, para que servem os Formatos de imagem e a sua utilização, a exportar as Imagens da Câmara para o computador e/ou software de edição, a tratá-las e optimizá-las. Serão ainda abordados os retoques e reconstrução de uma fotografia antiga, a impressão das imagens e o uso dos perfis de cor.
Carga Horária: 20 Horas
Pré-Requisitos: Ter o Curso de Photoshop – Fundamentos da Documenta ou conhecimento equivalente. É necessário que o aluno tenha desenvoltura no manejo do sistema operacional (copiar, colar, recortar, criar pastas, salvar, renomear). Navegação e utilização da Internet.
Material Didático: Exclusiva Apostila Digital Documenta
Mais informações:
contato@documentacursos.com.br
8129 5523/8819 1042/ 3083 0819





Fotovaral 16.16 – Maratona Fotográfica da Cidade de Belém

15 08 2011
Há uns meses atrás foi iniciado um projeto chamado Belém 16:16, uma maratona fotográfica para registrar os bairros da cidade. Publiquei um artigo no Ponto Zero sobre isso. Agora está na hora de conferir os resultados desta primeira etapa!
Finalmente vamos para a exposição das fotografias!
***
 Maratona fotográfica Cidade de Belém
    Ano I/2011
                     “Belém 16:16 – Maratona Fotográfica Cidade de Belém ”  é um projeto constituído por um conjunto de ações  interligadas que serão desenvolvidas anualmente pelo Centro Cultural SESC Boulevard até 2016, ano em que a cidade de Belém comemora  400 anos de sua fundação.
                      O objetivo é produzir, organizar e compartilhar um vasto repertório de testemunhos, reflexões e sentimentos sobre a cidade de Belém, culminando num livro de memórias e imagens que será lançado em 2016.
                      Nesse sentido, ao longo dos próximos 5 anos, serão realizadas  oficinas, expedições e mostras fotográficas, palestras, debates   e outras ações tendo como foco a cidade de Belém em todas as suas dimensões.
                       A cada ano a participação do público e a abrangência geográfica das ações serão conduzidas  com o objetivo de envolver  todos os bairros de Belém.
                      Em sua versão de lançamento, o projeto realizou:
- Um ciclo de debates sobre imagem, história e memória, com os professores e pesquisadores Ernani Chaves, Elna Trindade , Michel Pinho e Mariano Klautau Filho;
- Oficinas de sensibilização, que serviram de base para reflexão e orientação das pessoas interessadas em participar da primeira Maratona Fotográfica Cidade de Belém.
- A I Maratona Fotográfica Cidade de Belém, com quase 100 participantes, produzindo em torno de 10 mil imagens, que selecionadas e editadas compõem o Fotovaral 16.16.
PROGRAMAÇÃO CULTURAL E EDUCATIVA
Fotovaral  “16.16” –  Apresentação das imagens produzidas pelos participantes da
I Maratona Fotográfica Cidade de Belém, realizada em janeiro de 2011. Terá, também, uma programação cultural paralela, com apresentações artísticas e oficinas de câmera obscura.
Data: 21/08
Local: Travessa Leão XIII(entre 1°de Março e Santo Antônio), atrás do CCSB.
Horário: 9 às 19h
Programação :
9h as 19h- Fotovaral
10h – Oficina Câmera Obscura, Turma 1 (12 vagas)
10h30- Palhaços Trovadores, com a performance “Lambe lambe”
11h30 – Oficina Câmera Obscura, Turma 2 (12 vagas)
14h30 – Oficina Câmera Obscura, Turma 3 (12 vagas)
16h00 – Oficina Câmera Obscura, Turma 4 (12 vagas)
17h30- Trio Andaluz ( Jacinto Khawage, Luiz Pardal e Paulinho Assunção)
19h00 – Projeções multimídia: fotografia e cinema
PARTICIPANTES DA  MARATONA FOTOGRÁFICA
Abraão Carneiro dos Santos - Adelaide Ferreira de Araujo - Adriele Cristine Silva da Silva - Aida Maria de Mello Neto - Aline Silva Ferreira - Amanda Priscila de Souza Silva - Ana Catarina - Ana Mokarzel - Anderson Fattori Leal - Anderson  Coelho - Antonia Catarina Rodrigues Costa - Antonio Carlos Brandão Monteiro - Antonio Carlos Sales da Silva - Arlete Soed Paredes - Ary Souza - Brenda Venina Paiva da Silva - Camila Lima - Cândida Ivy Figueira da Silva - Celso Roberto de Abreu Silva - Chaya Zagury - Cinthya Marques - Cyro Almeida - Danilo Pontes Barata Pires - Deborah Cabral Rabelo - Douglas  Caleja - Edielza de Souza Dais - Erika Nunes - Fátima do Rosario Pacheco Soares - Fernando  Polaro - Flávia Souza - Galvanda Queiroz Galvão - Glauce Rodrigues Andrade - Guy Veloso - Ionaldo Rodrigues da Silva Filho - Irene  Almeida - Janduari Simões - José Viana - João Jairo Moraes Vansiler - Joyce  Nabiça - Karina Vidal Moriya - Kazuo  Kamizono - Kelvyn Menezes Cunha - Kessia Silva Moraes - Lívia Martino de Miranda - Luciana Bezerra Farias - Luciana Correa Bibas - Makiko Akao - Marcílio dos Santos Gonçalves - Marcio Joaquim Tavares de Jesus - Marcos André Costa - Maria das Graças Ayan Gaia - Maria Dorotéa de Lima - Maria Goretti da Costa Tavares - Maria Simone Silva Gomes Barbosa - Marise Maués - Marta  Cosmo - Mauro Afonso Araujo Ribeiro - Patrícia Marins Povoa - Pedro Cunha - Pedro Paulo dos Santos - Renato Cruz de Souza - Roberta Figueira Batista - Ronald Junqueiro - Ronaldo Lucio Lopes Andrade - Shirley Penaforte - Suely  Nascimento - Tamara Saré - Tássia Ariadne das Neves Barros - Tayna Portilho de Aquino - Teonila Bezerra Lima - Tereza Jardim - Thomas Tavares de Souza - Ubirajara Bacelar Neto - Valério Silveira - Vivian Karina Zeidemann - Wisfredo Guimarães Gama - Yasmin  Vasconcelos
Maiores informações no Centro Cultural SESC Boulevard,  na Boulevard Castilhos França 552/553 , fones 3224 5654 e 3224 5305, de terça à domingo de 10 as 19 h.




Fotoativa inicia temporada de cursos de 2011

7 02 2011

Olha aí, pessoal! Pra quem sempre me pergunta onde tem cursos de fotografia em Belém, anota isso: a associação Fotoativa programou vários cursos para o primeiro semestre de 2011. Os cursos acontecem de fevereiro a maio e são voltados para jovens e adultos, com ou sem experiência em fotografia. Os custos variam de R$60 a R$600.

Para você que até agora só sabe “ligar” e “desligar” a máquina, não imagina o que é photoshop e tem muitas idéias, mas são sabe nem como começar um projeto gráfico, a Associação Fotoativa inicia a partir do dia 12 de fevereiro uma série de oficinas para jovens e adultos, com ou sem experiência na arte de fotografar.

São ofertados cursos de Iniciação à fotografia e linguagem fotográfica, photoshop básico, serigrafia básica e avançada, ligthroom, Photomorphosis, projetos gráficos e informática básica. Os cursos são uma iniciativa do Núcleo de Formação e Experimentação da Fotoativa, que reuniu vários de seus profissionais para ministrar as aulas. Os cursos acontecem entre fevereiro e maio, com custos que variam de R$60 a R$600.

Primeira Oficina inicia no próximo dia 12

A primeira atividade é a oficina Fotografia Digital I, com o fotógrafo Valério Silveira, e vai acontecer sempre aos finais de semana, de 12 a 02 de abril, na sede da associação. Na oficina será possível aprender um pouco mais sobre a fotografia e o funcionamento da câmera; o controle da luz; a lente; o equilíbrio de branco; cartões de memória e baterias; formatos de arquivos/backups e armazenamento; noções básicas de composição; cor e PB, e edição básica de imagens digitais.

Além das aulas, estão inclusas também as saídas fotográficas, para que os alunos compreendam na prática tudo que foi exposto durante as aulas teóricas.

O investimento é de R$200. No final do curso, todo o material produzido pelos alunos será exposto na mostra coletiva “O tempo e a Luz”, na sede da Fotoativa.

Serviço:

Oficinas da Associação Fotoativa/Primeiro semestre de 2011. A Fotoativa fica na Praça das Mercês, nº 19. Mais informações pelo (91) 3225-2754 ou pelo blog http://www.fotoativa.blogger.com.br/

*Texto de Vanessa Monteiro

 





Belém, 395 anos.

12 01 2011

Não vou escrever sobre a cidade hoje. Já escrevi no Ponto Zero, se quiserem conferir o que acho da cidade, do aniversário e da população.

Vou deixar o espaço aqui só para fotos. Fotos de como eu vejo essa cidade. Fotos de como eu quero mostrar essa cidade. Recortes de uma realidade calorenta, suada, e com cheiro de tucupi.

Cestaria e o mercado de ferro ao fundo

Toda cidade tem a sua, mas a nossa é a mais bonita com certeza...

Canhões e uma garça, posando pra tia Tereza =)

Detalhes da Praça Batista Campos, apaixonantes!

Se quiser ver mais fotos minhas da cidade, clique nas imagens que elas levam ao meu flickr! Todas essas fotografias são de minha autoria, e foram produzidas para o meu trabalho de conclusão de curso, o projeto Belém na Foto.





Moda morena com orgulho!

8 06 2010

A moda paraense está crescendo e aparecendo, e muito disso se deve ao pessoal do Caixa de Criadores, que batalha e corre atrás de desenvolver e divulgar a produção de moda local. É o tipo de coisa que me deixa orgulhosa e feliz, saber que a prata da casa não faz milagre nenhum, apenas trabalha duro para fazer produtos de qualidade, inclusive para padrões de fora da cidade morena.

Esta semana está acontecendo a 9ª edição do Mercado de Moda Caixa de Criadores, e a coleção de verão vem com o tema Brasileiríssimo, muito bem explorado pelas 41 marcas locais participantes do evento.

O Ponto Zero estará lá hoje para fazer a cobertura do evento, e se você já está com cuíra de tanta curiosidade, já tem fotos dos desfiles de ontem no ideias vestíveis!

Para acompanhar as informações do evento direto do twitter, @caixadcriadores!





Aniversário da Cidade Morena

12 01 2010

Banco no Forte do Presépio, Complexo Feliz Lusitânia

Sim! Hoje Belém completa 394 anos, gente! Temos o que comemorar? Talvez não… Mas apesar do desgoverno, da desprefeitura, dos buracos, da falta de saneamento, das obras feitas nas coxas, das obras de maquiagem, da falta de instrução para a população, do transporte público precário, e muitos outros pretextos pra se falar mal daqui, eu tenho orgulho de ser belenense de coração.

A praça, num raro momento de quietude. Um doce pra quem acertar onde está Wally.

Eu cheguei na cidade de mudança aos 13 anos, mas já era apaixonada pelas mangueiras e pelas praças desde quando vinha passar as férias na casa da tia. Adotei a cidade como minha, e mesmo esculhambando com todas essas precariedades, eu não deixo de defender meu lugar com unhas e dentes pra quem quer que venha falar mal da Mangueirosa.

Barco no Mangal das Garças

Então, ao invés de só reclamar de todos os males, ou fechar os olhos e dizer que a cidade é tudo de bom, vamos nos propor a fazer nossa parte. Vote certo, não jogue lixo na rua, ajude a esclarecer os que jogam, fique por dentro do que rola nos poderes executivo e legislativo, participe de campanhas de reciclagem, faça um trabalho voluntário pela população carente… Enfim, meu convite é esse! Vamos arregaçar as mangas e fazer Belém mais bonita e melhor pra se viver.

Os primeiros movimentos do dia na Av. Presidente Vargas.








%d blogueiros gostam disto: