Dez descobertas com a primeira DSLR!

29 02 2012

Essa dica vai direto para os ingênuos compradores de câmeras “semiprofissionais”, aqueles que crêem poder fazer fotografias geniais tão logo adquiram sua primeira DSLR. O fotógrafo Anees K A deixou no Digital Photography School uma listinha com dez de suas descobertas enquanto desvendava sua recém-adquirida primeira câmera digital modelo “Single Lens Reflex”, e então resolvi trazer pra cá.

[Tradução livre e adaptada da autora do Interpretante Imediato]

1. O que você vê não é o que você vai ter.

Até o mínimo corte entre a cena vista no visor óptico e a imagem capturada faz diferença.

2. Pra ter o que você vê, é preciso entender a luz. Isso demanda bastante tempo, esforço e paciência.

Todos os ajustes relativos à luminosidade da foto precisam ser compreendidos em sua essência. Velocidade do obturador, abertura do diafragma, ISO, luz artificial, reflexos… Muitos itens a serem observados antes do clique.

3. A melhor habilidade que um fotógrafo precisa é antecipação e vivacidade para capturar um momento.

Se quiser as fotos extraordinárias, esteja sempre preparado, e comece a treinar sua mente para antever determinadas cenas logo antes que aconteçam. É um processo natural quando se trabalha um mesmo tipo de fotografia: infantil, casamentos, formaturas, retratos, shows…

4. Há tempo e lugar para cada tipo de equipamento.

Viajar para praias com câmeras e lentes intercambiáveis pode te deixar um pouco tenso. Tenha sempre à mão uma boa e simples compacta, como essa cor de rosa na mão da mamãe =)

5. As melhores fotografias que você vê não são acidentais. São o resultado final de reflexão e planejamento cuidadoso.

 É muito fácil dizer que poderia ter feito tal foto depois que ela está pronta, na sua frente. Também é fácil “culpar” a qualidade do equipamento, ou a sorte do fotógrafo de estar na hora e lugar certos.
6. Superar a inércia de usar uma DSLR não é o bastante. Lembre-se sempre de continuar aprendendo e aprimorando.
7. Ter uma DSLR não justifica o modo manual o tempo todo. O importante deve ser capturar o momento. Explore sua criatividade apenas se a situação permitir.
 Algumas vezes é mais produtivo acionar o modo prioridade para velocidade do obturador, e evitar o risco de perder uma bela foto de esporte ou dos seus sobrinhos lindos correndo no parque.
8. Ainda que você não se dê conta, a maioria das fotos que você vê online passaram por pós-processamento. Dedique um tempo para dominar algumas técnicas, o benefício vem a longo prazo.
 As melhores fotos ainda podem precisar de um retoque no contraste ou nas cores. E isso é tão normal quanto o processamento químico dos tempos da fotografia analógica.
9. Seja paciente com o seu índice de sucesso. Apenas algumas das inúmeras fotografias que você fizer serão úteis.
10. Equipamento caro não significa necessariamente melhores fotografias. Conheça seu equipamento como a palma de sua mão.
Eu, particularmente, ainda resisto um pouco a tirar a câmera do modo Manual.

E você, já fez essas descobertas por conta própria? Ou já descobriu outras coisinhas? Compartilhe nos comentários!





Dicas para fotografar em preto e branco

6 02 2012

Pessoal, desculpem-me a ausência prolongada, garanto a vocês que é por excelentes causas do mundo palpável aqui fora. De qualquer forma, não vou me alongar em #mimimi e vamos direto à retomada do ritmo aqui, que este é o primeiro post de 2012!

Recomecemos os post com dicas sobre fotografia trazidas direto do Digital Photography School. Estou com um artigo muito bom na minha pastinha de favoritos há um bom tempo, sobre fotografar em preto e branco. Os leitores antigos já conhecem o esquema, mas não custa repetir: tradução livre e adaptada da autora do Interpretante Imediato.

Bem, muitos fotógrafos da era digital estão acostumados a fotografar tudo colorido, e decidir quais imagens serão convertidas para o preto e branco já na pós produção. Naquela base da “tentativa-e-erro” que o fotógrafo digital está acostumado… Tudo bem, isso não é exatamente um problema. Mas você já experimentou fotografar “pensando em preto e branco”? Aqui vão algumas dicas.

1. Fotografe em cores

A maior parte das câmeras já tem uma pré-definição que nos permite fotografar em preto e branco. Não a use. Pode soar estranho, mas suas fotos monocromáticas podem ser bem melhores se feitas em cores.Uma boa imagem em preto e branco vai exigir pós-processamento, e o padrão da câmara de conversão preto e branco não é tão bom quanto ter a sua própria conversão preto e branco.

Foto feita em cores, convertida na pós produção utilizando filtro verde.

Porém, há uma exceção a esta regra: se fotografar em formato RAW, você pode usar a predefinição preto e branco em sua câmera tranquilamente. Quando fotografa em RAW, a câmera mostra uma pobre conversão preto e branco em seu monitor, mas as informações de cor ainda estão disponíveis no arquivo. Se a sua câmera suporta um formato RAW, eu recomendo usá-lo. Ele vai te dar mais controle sobreo resultado final. Neste caso, a pré-visualização em preto e branco no ecrã da câmara pode ajudá-lo a ter uma idéia de como uma versão em preto e branco pode parecer.

2. Use o menor ISO possível

O ISO 100 me garantiu contornos bem nítidos do casal fotografado em contraluz.

Sabemos que a textura granulada é bastante popular nas fotografias em preto e branco, mas é recomendável que se use o menor ISO possível no momento do clique. Assim como a conversão das cores, o efeito granulado pode ser muito mais interessante quando adicionado na pós-produção, já que o granulado digital não é tão interessante quando o granulado do filme analógico. Porém, é preciso precaução com a velocidade do obturador quando o ISO é mais baixo. É preferível uma imagem mais granulada e ainda nítida do que uma sem ruído mas com um borrão no lugar do assunto.

3. Fotografe em dias nublados

O céu torna-se o mais barato equipamento fotográfico: um grande difusor natural e gratuito para retratos interessantes.

O morador de Belém conhece bem aqueles dias cinzentos, quando temos a impressão que alguém fechou as cortinas do céu, e vemos aquela densa massa cor de asfalto cobrindo o horizonte. Pegue sua câmera e aproveite! São dias perfeitos para fotos em preto e branco, já que a luz é difusa e a transição entre os tons dos difetentes objetos é bem sutil. Se preciso for, pode-se aumentar o contraste da imagem na pós-produção.

4. Aprenda a enxergar em preto e branco

A aparência do mundo é diferente em preto e branco. Quando você aprende a “enxergar” desta forma, começa a perceber de imediato as boas oportunidades de uma foto monocromática. Tente imaginar como a foto vai ficar em preto e branco antes de apertar o botão. É preciso prática, não é muito fácil, mas pode ajudar muito.

Ok, bolo branco + noiva de branco + noivo de preto facilita bastante a pré-visualização de uma foto em preto e branco antes mesmo do clique... Mas deu pra entender o exercício, né?

Procure por formas. Elas provocam sombras que realçam os contornos de um objeto. Se a luz disponível é dura, as sombras também serão. Formas belas podem se perder na profusão de cores, e o preto e branco é ideal para realçá-las. Na ausência das cores, as estruturas ganham mais importância. Use a luz para encontrar estruturas.

O alto contraste em uma fotografia costuma resultar em uma imagem confusa, mas a remoção das cores torna o contraste uma forma de direcionar a atenção ao que você quer realçar.

5. Pegue a câmera e vá fotografar!

Explore =)

*Artigo adaptado do Digital Photography School





A arte de se iniciar na arte fotográfica.

23 06 2010

Pensando por alto, qualquer começo de carreira é complicado. Na fotografia não poderia ser diferente. Talvez até um pouco pior, já que para ser fotógrafo não é necessário um diploma [embora aqueles que fazem cursos estejam bem mais preparados para começar...].

Se você está começando e se sente perdido, ou muitas vezes acha que nunca vai alcançar o nível profissional quando se depara com fotógrafos experientes, você não está sozinho.

No blog do Digital Photography School, a fotógrafa Laura Radniecki fala sobre cinco armadilhas de nossas cabecinhas amedrontadas, e fala sobre como se livrar delas! Vou comentar as cinco, sem traduzir o texto direto, ok?

1. Minhas fotos são horríveis.

Todo mundo começa do começo. Não dá pra querer comprar a câmera e sair fazendo fotos melhores que as do Cartier-Bresson. O aprendizado dos recursos da câmera é longo e trabalhoso, exige prática e estudo. Haverá vários megabytes [ou rolos, se você é das antigas] de fotos ruins para cada foto boa no começo. Com o tempo, você vai melhorando, acredite.

2. Meu equipamento não é bom…

Compacta

Não é porque a câmera é compacta que ela não fará registros maravilhosos!

Câmeras caras não significam fotos lindas. Quem faz a foto é o fotógrafo. É claro que existem limitações de recursos quando você não pode comprar todas as lentes disponíveis no mercado, mas o seu aprendizado está justamente em saber lidar com o que você tem em mãos, e não perder o momento da foto. Aliás, câmeras compactas do tipo point-and-shoot [as famigeradas automáticas] são capazes de fazer maravilhas, é só você aprender a usar seus recursos de redução de tremor, identificação facial, ISO alto… Mas, como já dito anteriormente, estudo e prática são fundamentais. Leia o manual da sua câmera, procure aprender sobre ISO, flash, composição, profundidade de campo…

3. Estou fazendo tudo errado!

Não existe forma “errada” de se fazer uma foto. Muitos iniciantes pensam nisso por não conseguirem entender e usar o modo manual da câmera, mas isso não é de todo ruim! O modo automático é adequado para começar a aprender, e só passe a controlar mais os ajustes quando se sentir seguro para tal. Faça seu tempo, pessoa!

4. Eu nunca vou conseguir fotografar como profissionais.

Quanto a isso, apenas um comentário: todo profissional foi iniciante um dia. =)

5. Não posso pagar por programas de edição!

Bem, os programas mais conhecidos realmente são caros, mas a Laura dá exemplos de programas que são gratuitos, como o iPhoto e o Picasa. Se você pesquisar bem, pode encontrar outros também!

Além dessas cinco armadilhas, é bom você iniciante conhecer os primeiros degraus desse aprendizado, que a Huaine Nunes coloca muito bem em seu blog. É um texto que nos faz refletir e enxergar melhor esse processo doloroso e demorado de amadurecimento profissional.

Espero que tenha acalmado os coraçõezinhos aflitos por aí!





Fotógrafo iniciante, conheça sua câmera!

1 06 2010

Esse é o texto que eu gostaria de ter escrito. Na verdade, é o texto que eu gostaria de ter encontrado quando comecei a estudar fotografia. Hoje é bem simples entender o papel do sensor, do diafragma, do obturador e do ISO, mas foi difícil no começo. No meu TCC eu chego a fazer essa comparação entre a câmera fotográfica e o aparelho visual humano (olhos + nervos + cérebro), mas não pude (e nem precisava) me aprofundar tanto na metáfora.

Foto de Leonardo Mendonça

Chega de papo, vamos à explicação, breve e clara:

1. Sensor: é o cérebro. É onde a imagem será processada e armazenada. Essa etapa da visão a ciência ainda não conhece de maneira detalhada, portanto, quem sou eu para dizer mais do que isso aí…

2. O ISO representa o grau de sensibilidade dos olhos à luz. Quanto maior o valor do ISO, maior sua sensibilidade. Na prática, isso significa que, ao fotografar externas em dias de sol, o ISO 100 em geral é suficiente. Já durante uma festa, um jantar em um ambiente mais escuro e durante a noite, é necessário usar valores de ISO acima de 800 para conseguir uma imagem clara. Aqui entra um detalhe: quanto maior o valor do ISO, mais grãos vão aparecer na fotografia. Mas não se preocupe, muitas das vezes esses grãos são charmosos e compõem bem fotografias clássicas, como retratos em preto e branco.

3. A abertura é determinada pelo diafragma, como a pupila. Quanto maior a abertura (e menor o número que a representa), mais luz pode entrar na câmera e atingir o sensor. Como quando saímos para a rua e  sol está bem forte, nos sentimos temporariamente cegos, e a claridade é intensa durante os segundos em que nossas pupilas se contraem e diminuem a abertura que permite a passagem dos raios luminosos até a retina. Isso é como uma superexposição. O contrário também é válido, a sub-exposição pode ser comparada ao momento em que voltamos para um ambiente mais escuro e as pupilas demoram a ampliar a sua abertura.

4. O obturador é a piscada. Ou seja, a velocidade do obturador vai determinar por quanto tempo o sensor ficará exposto à luz, assim como a velocidade das nossas piscadas determina o quanto expomos a retina.

Uma das coisas mais importantes a se aprender na fotografia é justamente lidar com essas variáveis para encontrar a melhor exposição em cada situação e tipo de luz. Em um próximo post, vou exemplificar com imagens as diferenças que os ajustes dessas variáveis causam na imagem final.

Ah, sim! O post original, em inglês, eu vi no DPS, claro.





Ideias para fotografar em dias de chuva

6 04 2010

Chris Folsom, do Studio Tempura, publicou no Digital Photography School cinco dicas muito legais de assuntos para se fotografar em dias chuvosos. Como moro em uma cidade cujo clima se divide nas estações “chove-todo-dia” e “chove-o-dia-todo”, achei pertinente trazer pra cá essas ideias!

[Tradução livre e adaptada da autora do Interpretante Imediato]

1. Objetos randômicos

Se você tiver maçãs molhadas na fruteira, ajuda bastante!

Brinquedos, frutas, flores, instrumentos musicais, livros, relógios… provavelmente há mais objetos fotografáveis ao seu redor do que você imagina. Tire um tempo para focar em composição e iluminação, e você pode tornar esses objetos “comuns” em assuntos realmente interessantes. Se você tiver lentes macro, esse é o momento de usá-las, já que elas colocarão objetos familiares a você em uma nova perspectiva.

2. Retratos

Retratos infantis são deliciosos!

Pegue alguém da família ou chame um amigo e faça alguns retratos. Deixe seu modelo próximo a uma janela aberta e aproveite a luz difusa dos dias chuvosos. E não há razão para ficar em casa [a não ser, é claro, as enchentes e o trânsito desorganizado...]. Vá fotografar em um museu, escola, ou outro local fechado que vier à mente. Apenas procure se informar primeiro sobre as regras do lugar com relação ao uso de câmeras fotográficas. Não conseguiu ninguém pra fotografar? Então é uma boa hora para tentar autorretratos.

3. Gotas de água

Por mais clichê que possa ser, chuva escorrendo na janela e luzes em bokeh ao fundo não perdem o charme.

Capturar imagens de gotas de água é bem divertido, e muito adequado se você considerar o clima chuvoso…

4. Abstração

Que tal a vista inferior para as roupas penduradas?

Circule pela casa e procure formas interessantes, texturas e cores. Se você ficar de olho, provavelmente há muitas fotos abstratas prontas para serem descobertas.

5. Fotografe seu bicho de estimação

Nem precisa chover pra clicar esse peludo. Mas quando chove ele dorme mais gostoso...

Tem um gato? Cachorro? Papagaio? Peixe? Ornitorrinco? Mostre seu amor ao seu bichinho passando tempo com ele e fazendo fotos bem legais durante o processo!





Fotografando a TV

9 03 2010

Atire a primeira pilha quem nunca se decepcionou com uma foto de um aparelho de televisão ligado com aquelas listras atrapalhando.

Pois bem, vi no Digital Photography School uma dica muito bacana para evitar esse efeito na fotografia, e me senti na obrigação de compartilhar com vocês. Dessa vez não será tradução direta, vou tentar explicar DO MEU JEITINHO com as minhas palavras.

Segundo Elizabeth Halford, a resposta para essa inconveniência está na velocidade do obturador. Ela explica que a imagem na TV é formada por um pixel de cada vez em uma velocidade altíssima. Então, para conseguir pegar toda a cena, use a velocidade 1/30 ou mais.

Notem que ela está "jogando" Rock Band. As TV's mais atuais não apresentam esse problema por não utilizarem mais a varredura do feixe de elétrons.

Se a sua câmera não tiver esse recurso, dê uma espiada nos programas que ela oferece. O de esportes, por exemplo, não vai servir por causa da alta velocidade do obturador. Aí, meus amigos, é o caso de experimentar. Geralmente, os modos noturnos que envolvem o não uso do flash são os que apresentam velocidades mais baixas, comece com eles.





Dicas de Fotografia IV

28 01 2010

Dando continuidade ao lado fotográfico do blog, achei mais um pos muito legal no Digital Photography School para trazer pra cá. Já ouviram falar no Projeto 365? Bem, tudo o que você tem que fazer é se propor a fazer uma foto por dia, durante um ano. Parece simples, não? Mas sempre tem aqueles dias em que a gente não se sente inspirado a fotografar, aqueles dias corridos quando não dá tempo nem de coçar o nariz, e aqueles dias tão preguiçosos que você só quer saber de descansar.

Pois bem, aqui vão 11 dicas para conseguir realizar o projeto. Mesmo você que não é fotógrafo profissional mas adora fotografia pode entrar no projeto, aposto que vai aprender muita coisa legal, e vai se surpreender com as fotos no final.

[Tradução livre e adaptada da autora do Interpretante Imediato]

1. Fique atento

Mantenha seus olhos abertos com uma foto em mente a todo momento do dia. Procure por momentos que, normalmente, você deixaria passar despercebidos. Treinar seu olhar e sua mente é a forma como o Projeto 365 pode ajudar você a crescer como fotógrafo. Grandes fotografias não acontecem se você nunca vê ou nunca sabe quando reagir.

2. Sempre leve sua câmera com você

Tenha a câmera sempre ao alcance durante o dia. Não tenha vergonha. Não fique com preguiça. Nem tire intervalo. A hora em que você não estiver com a câmera será o único momento em que você vai desejar não tê-la deixado para trás. Enquanto você se depara com a Lei de Murphy de tempos em tempos, a frequência diária de fotos significa mais oportunidades de encontrá-la. Com um pouco de disciplina você pode facilmente driblar a Lei. De Murphy, gente!

Levei a câmera para uma reunião. Eis que o chaveirinho do pen drive colocado no meu mac me chamou a atenção...

3. A melhor hora é agora

Nunca diga “Eu fotografo isso depois”, ou “Eu faço essa foto na volta”. Faça a foto enquanto a idéia está fresquinha em sua cabeça e a luz está certa. Momentos de inspiração quase nunca aparecem em momentos convenientes, e a luz quase nunca é exatamente a mesma em dois momentos do dia.

Essa foto só se consegue às seis da manhã, com essa luz e a falta de movimentação em plena Praça da República num dia de semana.

4. Treine seus olhos para ver a luz

Aprenda a tirar o melhor da luz, independente do dia estar ensolarado, nublado ou qualquer coisa entre os dois. Aprender como trabalhar com a luz em situações de alto e de baixo contraste luminoso é uma boa forma de ampliar suas oportunidades fotográficas. Experimente também fazer uso de outras fontes de luz além do flash da câmera para complementar a luminosidade disponível.

5. Experimente! Não fique na zona de conforto

Ouse e arrisque uma foto ruim para aprender algo novo. Fazer as mesmas fotos repetidamente porque é mais fácil fazê-las não vai melhorar sua fotografia e não vai aumentar o interesse no seu trabalho. Saia da sua zona de conforto para tentar coisas novas. Isso depende menos de comprar novos equipamentos, e mais de abrir seus olhos para novos estilos e assuntos.

6. Use temas semanais

365 fotos únicas é uma meta alcançável. Se suas idéias estão se esgotando, pense em temas semanais. Faça fotos de um lugar em particular, uma cor, retratos de família e amigos, animais de estimação, macros, letras escondidas, etc. Às vezes um número infinito de assuntos são mais facilmente vencidos quando se pensa em temas. Temas oferecem um senso de ordem e planejamento, viabilizando mais etapas e deixando você mais próximo do objetivo final.

7. Planeje e escreva suas idéias

Melhor que esperar para encontrar inspiração é planejar adiante e escrever idéias para fotos futuras em um caderno de notas. É uma excelente prática para sessões de foto regulares, e vai reforçar o pensamento criativo. Rever idéias de fotos documentadas anteriormente  vai se provar uma boa fonte para quando as idéias espontâneas são poucas e espaçadas.

8. Faça edição e pós-produção semanalmente

Para evitar acúmulos, edite e processe suas fotos semanalmente, se não puder diariamente. Estabelecer um ritmo para editar e processar as fotos é a chave para completar o seu Projeto 365. Para muitos, fazer as fotos é fácil, mas editar e processar as fotos é um desafio. Para cada foto que você publicar, você provavelmente terá várias que não servirão. Entrar no ritmo para selecionar suas fotos finais e processá-las em tempo hábil vai fazer a diferença entre o sucesso e o fracasso.

9. Adicione observações às suas fotos

Quando postar fotos diariamente online, adicione notas sobre o que você acha que deu certo ou não nelas. Coloque informações gerais sobre a sessão e as configurações da câmera dos dados EXIF, você vai rever isso depois para refrescar a memória ou para ver o quanto você evoluiu. Histórias engraçadas também são informações legais de se rever. Entender como, por que e quando você fotografou seu objeto estimula um lampejo de criatividade que você não pode tirar dos dados EXIF.

E choveu na saída do passeio de barco E então vimos a cidade assim: Por detrás do plástico E da cortina de chuva.

10. Entre no ritmo e divirta-se!

Assegure-se de se divertir durante seu longo projeto. No momento em que se tornar trabalhoso, será mais difícil completar o Projeto 365. Entrar em um ritmo pode ajudar bastante a diminuir a percepção do esforço despendido para manter suas fotos em dia. Se você for dar uma volta durante o intervalo do almoço, mudar seu caminho por 10 minutos ou mesmo fazer 365 auto-retratos, saber que você vai dedicar um tempo para fazer suas fotos diminui bastante o estresse do processo. Se você faz o tipo espontâneo, defina 10 ou 20 minutos extra na sua agenda para parar e explorar com sua câmera. Como na vida, muitas vezes o caminho é mais interessante que o destino.

11. Comece hoje

Eis o melhor do Projeto 365: você pode começar QUALQUER dia do ano. Frequentemente as pessoas associam esse projeto ao ano novo, mas não há regras sobre quando começar um projeto como esse. Enquanto parece irresistível, ceda ao impulso e comece seu Projeto 365 hoje!








%d blogueiros gostam disto: