Moody Couch: finalmente um sofá com cara de conforto!

21 01 2011

Pra quebrar a série dos “semioticamente paradoxais”, aqui vai um sofá com a maior cara de conforto, daqueles que a gente olha e já solta um bocejinho gostoso: Moody Couch.

Me diz se não dá vontade de ficar abrigadinho ali dentro, namorando, lendo um livro ou simplesmente morgando?

A designer Hanna Emelie Ernsting ganhou até prêmio no imm cologne 2011, competição para jovens designers. A peça inclui o sofá, que conta com madeira na sua estrutura; e uma capa gigantesca, que pode ser “moldada” de acordo com o humor do usuário.

Eu só quero dizer que estou desejando intensamente um desses na minha sala, e quem conhece meu home office sabe por quê =)

Eu vi no FurnitureFashion.





Sofá pra não perder as coisas

8 11 2010

Levanta a mão quem já perdeu um objeto qualquer nos cantinhos de um sofá. Moeda, chave, brinco, celular… Super chato quando cai entre as almofadas e a gente quase desmonta o móvel pra encontrar né?

Eu ainda colocaria meu celular, os controles da TV, a revista da semana/mês...

Pois este sofá criado pelo escritório japonês Daisuke Motogi tem exatamente esse objetivo. Chamado de “Lost in Sofa” [perdido no sofá, em tradução livre], ele é feito de diversos cubos acolchoados, e os apertados espaços entre os cubos servem de suporte para você encaixar o que quiser [ou o que couber, claro].

Em detalhe, podemos imaginar uma combinação de cores aí, pra somar com a decoração, que tal?

 

Claro que, morando em Belém e tendo experiência como dona de casa, não dá pra deixar de imaginar o acúmulo de poeira…

Mais uma idéia genial vista no Freshome!





Mais um da série “semioticamente paradoxal”

19 10 2010

Um sofá feito pra ter cara de cimento. Tá certo isso? Designers da Kibisi criaram esse visual de almofadas empilhadas para a Versus, que incluem um pufe, uma cadeira, e dois sofás (dois e três lugares). Aparentemente, a idéia surgiu por causa de um dos parceiros da Kibisi, Bjarke Ingels, que procurava um sofá que refletisse seu estilo de vida voltado para a arquitetura. Então, além do formato de tijolos empilhados, as almofadas contam com botões especiais feitos de fibra de concreto.

 

Até parece confortável, não?

Depois do post dos vestidos de noiva em papel higiênico, me aparecem com esse sofá. Eu me pergunto: como deve ser a experiência de um sofá com cara de coisa dura? É tendência criar objetos dentro desse paradoxo semiótico?

 

Me diz se não parece uma trincheira??

Parênteses: não disse que é feio, nem disse que não gostei. Apenas fiquei realmente curiosa pra dar esse “barato” pro meu cérebro, sentir conforto em um sofá inspirado no concreto!

Já sabem né? vi no Freshome.








%d blogueiros gostam disto: