A Cigarra e a Formiga: peça infantil para crianças de todas as idades!

16 03 2011

Minha relação com os palcos de teatro começou há alguns anos, mas geralmente estava relacionada a óperas e outras apresentações musicais. Mas desde o começo do trabalho no Ponto Zero, tenho tido a oportunidade de assistir e registrar peças que deixaram marcas profundas na minha percepção de teatro, como a Quatro versus Cadáver e a Ópera Profano.

Elenco completo do espetáculo: Joaninha, Besouro, Cigarra, Formiga, Espantalho e Marreca!

Pois bem, março foi a vez da delicadíssima peça infantil A Cigarra e a Formiga, produzida pelo grupo Amazônia Imaginária. Eu já estava encantada com os figurinos e cenário que havia visto em divulgação anterior, mas não imaginava mesmo tamanho encantamento criado por cima de uma fábula mais do que conhecida, A Cigarra e a Formiga, de Esopo.

Engana-se quem espera uma formiga amargurada e ocupada apenas com seus afazeres, ou uma cigarra… bem, a cigarra é uma cantora bem ciosa de seus talentos, isso não dá para negar. Mas a relação entre as protagonistas é enormemente enriquecida pelos outros personagens da peça, e o enredo acaba tomando rumos surpreendentes. Sobre a montagem, vocês podem ler mais na matéria do Ponto Zero.

Detalhe da equipe se maquiando antes da primeira apresentação.

Mas vejam só que prato cheio para um fotógrafo é o figurino rico em detalhes de uma peça infantil! Os animais da floresta representados no palco não estão simplesmente em fantasias de animais. A Joaninha não é uma joaninha, é uma fofíssima mocinha com vestido de época, e está na anquinha a marca registrada do inseto: a capinha vermelha com bolas pretas! A Cigarra, artista e quase boêmia, é colorida e onírica. Talvez o personagem mais próximo da sua figura real ali seja o Espantalho, única e exclusivamente por já ser “humanóide”. Aos que ainda tem o olhar curioso e imaginativo de uma criança, as roupas e o cenário são um deleite fantástico.

Bem, fiquem com mais algumas fotos que tive o prazer de fazer!

Maria Tereza espiando Adelaide Tereza, caprichando na produção da Joaninha.

A Marreca

A Joaninha

O Besouro Zangolino

O Espantalho

A Formiga

A Cigarra





Quatro Versus Cadáver

29 08 2010

San Francisco – Califórnia, 1944. Um corpo é encontrado numa biblioteca e é contemplado por quatro suspeitos. Um deles é o culpado… Mas quem? Qual arma utilizou? Quais os motivos sórdidos, que o levaram a cometer este assassinato?”

Uma tragicomédia na qual quatro premiados e renomados escritores paraenses resolvem um único crime.

Com roteiro de Carlos Correia Santos, Edyr Augusto Proença, Rodrigo Barata e Saulo Sisnando [que também dirige e atua], a peça Quatro Versus Cadáver reúne quatro narrativas sobre um mesmo crime, cada qual com a cara de seu autor, e sendo a última aquela que vai alinhavar as histórias anteriores.

A mulher de vermelho

Nunca fui muito fã de teatro. Digo, de peças. Sempre frequentei teatros para ver óperas [preferencialmente bufas] e recitais, mas conto nos dedos de uma mão as peças teatrais que assisti. Quatro Versus Cadáver me faz repensar todos os conceitos que eu tinha sobre o teatro.

Srta. Blackcarpetgrave e Mr. Paddington

Além disso, foi minha estréia fotografando uma peça, e que estréia linda eu tive! Iluminação, cenário, expressões corporais, caras e bocas… material farto pra fotógrafo nenhum botar defeito! Adorei a experiência, e espero poder repetir em breve. Pena que Quatro Versus Cadáver está se despedindo dos palcos…




Dou a maior força!

26 04 2010

Semana passada fui surpreendida por um convite especial. Em alguns anos de internauta, eu já havia visto o que era blogagem coletiva. Mas em alguns meses de blogueira, nunca havia participado de uma. Pois bem, o convite foi aceito e cá estou eu, fazendo parte da campanha Mais Teatro, Brasil!

O convite chegou a mim através do @Alessandro_M, e ele fala um pouco sobre a blogagem coletiva aqui.

A campanha é uma iniciativa que conta com o apoio de artistas, empresas, e agora blogueiros! Quem lidera esse movimento é o Cennarium, portal que exibe peças e espetáculos das principais capitais culturais do mundo através da internet. A iniciativa do portal em si já é fantástica, proporcionando o acesso a cultura de uma forma inusitada e, de certa forma, democrática.

O objetivo da Mais Teatro, Brasil! é colher o maior número de assinaturas possível para dar entrada, junto ao Congresso Nacional, num Projeto de Lei de Iniciativa Popular, para que seja obrigatória a construção de um Centro Integrado de Cultura em cada município, cuja população seja superior a 25 mil habitantes. Olha que fantástico!

Pouquíssimas cidades contam com uma belezinha como esta. E mesmo as que contam, dificilmente tem acesso por conta dos preços das entradas.

Esses Centros Integrados de Cultura incluem não só palcos teatrais, mas também outras manifestações culturais e artísticas como salas de cinema, bibliotecas, espaços para a exibição de palestras, organização de oficinas e cursos, e etc. Ficou curioso? Leia mais sobre a situação da produção cultural no Brasil e sobre os Centros Integrados de Cultura aqui.

E sabem o que eu achei ainda mais legal? A campanha não visa a arrecadação de verba pública para a execução do projeto. Todos nós sabemos o quanto as coisas se complicam quando se investe dinheiro de verba pública nesse tipo de projeto… Ponto para a iniciativa!

Bem, fica registrado aqui o meu total apoio à campanha, e meu convite para que vocês também participem e assinem em favor do projeto!








%d blogueiros gostam disto: