Gaveta de meias, sim senhor!

Uma ideia que vem se espalhando pelos blogs de design, decoração e móveis. Uma ideia vendida como peça infantil, mas que pode muito bem ser usada em um quarto adulto, se houver espaço para aquele toque de ludicidade e descontração. Eis uma cômoda que eu chamaria de “literal”!

Cada coisa na sua gaveta!

A criação de Peter Bristol ganhou o nome de Training Dresser, e é confeccionada em ULDF.  Pra quem não sabe, MDF significa Medium Density Fibreboard, algo como fibra de média densidade, e ULDF é Ultra Low, ou “muito baixa densidade”. (sim, isso me tomou um tempinho de pesquisa no Sr. Google)

Também tem a versão para as meninas, olha!

Agora vou dizer pra vocês, que eu teria uma vontade louca de sair pintando ou adesivando essa cômoda. O apelo é forte, vocês hão de convir! Crianças com canetinhas coloridas, giz de cera, tinta, todas ao redor do móvel “pintando o sete”, não é uma cena tocante?

Vi em vários blogs, e pra ver de onde tirei as fotos, clique nelas!

Anúncios

Cadeiras… dobráveis?

Eu já estava morrendo de saudades de escrever sobre design aqui no Interpretante, e encontrei essa cadeira muito interessante para retomar o ritmo das postagens!

Tcharammm!

A montagem é inversa, ou seja, você desdobra para guardar, e isso faz com que ela ocupe bem menos espaço do que as cadeiras dobráveis comuns que encontramos no mercado. E por “menos espaço”, eu quero dizer que dá pra colocar até debaixo do tapete…

Tem até opção de cores!

Minhas considerações: adorei o conceito da cadeira se tornar uma peça plana, adorei a possibilidade de brincar com as cores na hora de produzir, mas… ainda acho que, abertas, elas ocupam muito espaço. Elas até parecem confortáveis, mas não consigo imaginar abrir quatro dessas em uma sala de um apartamento médio. A cadeira parece ser ainda um conceito,  ainda tem detalhes no acabamento que podem melhorar mas é isso que dá arquiteto querer fazer trabalho de designer, né?.  Talvez seja uma boa opção pra colocar no bagageiro superior do carro e levar pra casa de praia, né?

O projeto é do arquiteto Robert van Embricqs, e eu vi no Furniture Fashion.

Cadeira com sombra funcional. Oi?

Essa é uma daquelas idéias que designers comumente gostariam de ter tido. A cadeira denominada “Purposefulness of Shadow” [algo como “despropósito da sombra”]  consegue unir funcionalidade e visual em um produto de linhas simples.

Dependendo do ângulo de visão, pode confundir nossos olhos!

O grande barato é que a parte da cadeira que faz as vezes de sombra serve de compartimento para guardar objetos, como bolsas e casacos. Assim, ó:

Ideal para os que carregam consigo muitas "bagagens"

Ergonomicamente, eu faria uma ligeira observação: cadeiras com assento e encosto em absoluto ângulo reto me passam uma sensação de desconforto; e até onde me lembro das aulas na faculdade, o ideal é que se tenha uma angulação ligeiramente maior que 90º. Ergonomistas, confirmam?

Fora isso, o que ela precisa é de um nome mais comercial, porque… meio difícil “purposefullnes of shadow” ser bem aceito comercialmente…

Vi no Furniture Fashion.